09/11/2009 - Ives Horta

Está acontecendo no Presídio Feminino no bairro de Santana a realização de um sonho do Sr. Masataka Ota. A instalação de horta em algumas áreas que irá suprir a carência ocupacional das detentas.


Cultivando a Paz
 
Diagnóstico :
 
A atual situação da Penitenciária Feminina Santana em São Paulo,não é diferente dos demais no país,vem tendo um crescimento considerável.
Atualmente com 2700 detentas, sendo que uma pequena parcela dessas mulheres executam atividades internas remuneradas,as quais abrandam a pena a cada dia trabalhado.
Existe no interior da penitenciária terra cultiváveis, as quais chamaram à atenção do Movimento da paz e Justiça Ives Ota,para o desenvolvimento de um projeto de instalações de hortas nas áreas limítrofes,que venha suprir as carências ocupacionais das detentas e fornecimento de alimentos abundantes e sadios.
 
Objetivo:
 
Criação de hortas e pomares em áreas interna da penitenciária,visando uma atividade ocupacional e produtivas de detentas e enclementação das refeições com alimentos frescos e sadios.
 
Objetivo específico :
 
Aumentar o relacionamento interpessoal.
Cultivo de hortaliças e frutas
Atividade ocupacional
Terapia anti-stress
Poupança agregada
 
Justificativa:
 
A natureza vem sendo desequilibrada pela ação do homem,águas em escassez e poluídas,florestas desimadas, alimentos contaminados,a pobreza a fome e a criminalidade crescem juntos e o que resta á sociedade é um futuro incerto.
Com a simples técnica de incentivo a plantar e colher,inserindo um pensamento inovador referente à práticas agrícolas e ambientais, aplicadas em grupos de detentas,poderemos reverter alguns quadros.
É também fundamental salientarmos que poderemos incrementar as refeições,abaixar custos,acrescentar mais qualidade nutricional, fornecimento de frutas,legumes e verduras,frescas e sadias colhidas e cultivadas em suas próprias hortas.
 
Metas :
 
De acordo com cada área o projeto vem criar uma melhor integração entre a administração e detentas e seus familiares.
Em um prazo de 06 ( seis ) meses a partir do inicio do projeto fica determinado que todas as áreas envolvidas estejam produzindo e atendendo seus objetivos.
 
Metodologia :
 
O Movimento da paz e justiça Ives Ota em conjunto com a penitenciária entrarão com ações que serão desenvolvidas para atingir os objetivos citados,com assistências técnica,com patrocínios dos setores públicos e privados,criando assim integrações entre estes setores e as comunidades.
 
Sustentabilidade :
 
Após 12 ( doze) meses recinde-se o apoio da integração,iniciando-se uma nova etapa onde as próprias detentas irão fazer sozinhas a sua própria parte e não dependerão mais de alternativas subsidiadas e conforme o potencial de cada grupo manterão-se com os próprios recursos.
 
 
Operacionalização :
 
Após as fases de mobilizações, existe a necessidade de cooperação técnica nas fases do programa e também no sentido de fiscalização.
Sendo o projeto em execução e por estar operando com recursos alocados sob regime de colaboração e não passível de devolução deverá ser sistematicamente monitorados e periodicamente auditados.
 
 
Técnico Responsável:
Carmo Martim Macedo  CREA 5725/TD
 



© 2009 . Instituto Ives Ota . Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: proprio* - ClasseNet